Silere

SILERE

Outubro de 2001

Criação
Sofia Belchior, Vanessa Amaral (coreógrafa/ interpretação)

António Machado (compositor/ Interprete)

Apresentações Informais:
Mains D´Ouvres, Paris – Outubro 2001;

Quinzena de Dança de Almada – Novembro de 2001

FIAR – Festival de Artes de Rua – Palmela – Julho de 2002

Peça criada em Paris, em 2001, num intercâmbio Portugal/ França e apresenta como base as vivências desse momento das nossas vidas.
O trabalho é desenvolvido regularmente e enriquecido com novos conhecimentos e experiências; sempre que é apresentado é diferente e original.
O Silêncio serve de fio condutor entre as acções e os momentos de improvisação dos vários intérpretes.

Silentium – Silere – Silêncio – Silence – Silence – Csond – Tisina –
Os diferentes sons da mesma palavra.
(Silere foi a 1ª palavra usada pelos franceses para designar Silêncio)

Dois bailarinos, um músico, criadores, um espaço e estados de espírito.
Silêncio, ruído, memórias e sentimentos…
As diferentes estruturas do silêncio, a ausência de som, e o ambiente que os envolve dentro do silêncio motivam movimentos e sons. O que poderá ser definido como silêncio? Poderemos falar sem palavras?