Era uma vez talvez outra vez

Esta peça introduz um novo desafio, uma nova abordagem, uma vez que as crianças também vão ter um papel activo no decorrer da acção, nalguns pontos é o público que decide o percurso da peça e as personagens intervenientes.

Através de numa personagem narrador, as crianças são convidadas a dar opiniões e a fazer opções, sendo que todo o espectáculo – interpretes e técnica tem de acompanhar as decisões no momento.

Na verdade em cada espectáculo a peça será diferente, pois depende da participação e acção do público.

 

A peça fala-nos de como se faz uma peça, quais os passos e as possibilidades em palco.

Será uma peça divertida, com alguns ingredientes já conhecidos do público noutras histórias infantis, mas também com alguns sem sentido que farão com que a peça tenha um aspecto “disparatado” e humorístico.

É intenção dos criadores que a peça seja um momento de boa disposição para todos os envolvidos.

A peça não apresenta uma história com principio, meio e fim, mas terá sempre um panorama orgânico e coeso na imagem e estética da peça.

Ficha artística

Coreografia: Sofia Belchior – colaboração dos interpretes

Composição musical e desenho de luz: António Machado

Cenografia: António Machado e Sofia Belchior

Figurinos: Sofia Belchior

Interpretação: DançArte – Companhia residente no Teatro S. João, Palmela

Carlos Custódio, Erica Amaro, Joana Chandelier, Sofia Belchior e Sofia Crispim

Produção: Passos e Compassos/ 2006

Em paralelo foi desenvolvido projecto, em parceria com a Câmara Municipal de Palmela e alguns grupos da comunidade educativa de Palmela, que propôs que o processo de criação fosse vivenciado e participado por crianças, com base em 3 ateliers e um ensaio geral; O objectivo desta proposta foi partilhar e presenciar as opções e as ideias das crianças, provocando uma maior adaptação da peça final ao público alvo.